AGRADECENDO 2010, ESPERANDO 2011

31 de Dezembro de 2010 às 14:07 por Rosana Manzini | Postado em: fé x vida
| Comentários (2)

Outro dia, conversando com um amigo, ele me dizia que não via muita graça na festa que espera o novo ano iniciar. Naquele momento concordei com ele, mas creio que estava errada. Todos nós precisamos de marcas, de ritos de passagem para determinar o fim de um momento e o início de outro. É verdade que poucas coisas mudam na noite do dia 31 de dezembro para o dia 1º de janeiro, mas também é verdade que a esperança paira no ar.

Tenho aprendido com meu filho a fazer  e escrever um balanço do ano que se finda e minhas expectativas, proposições, esperanças para o ano que começa. E cá estou eu, fazendo memória e sonhando.

Profissão - Iniciei 2010 com cidadania teológica, mas tinha pela frente o desafio de, depois de um período particularmente muito difícil, a voltar a ser em sala de aula o que realmente sou. Reencontrei-me animada com minha profissão e missão. Faço parte de três instituições: Faculdade Dehoniana, PUC-SP e Instituto Sta Terezinha, de SJC. Em cada uma delas encontrei elementos importantes para essa reconstrução profissional e pessoal. Meus amigos professores a quem agradeço as discussões teológicas, as dicas pedagógicas e a partilha de vida; meus estudantes que com os incentivos e as críticas foram me indicando o melhor caminho a seguir. Nesse balanço vejo que consegui receber as críticas, acolhê-las e transformá-las em ações positivas. Muito obrigada!!!

Como essa é uma reflexão e não uma carta para agradar ninguém tem que ser justa e, portanto não poderia deixar de destacar  o fato de estar em uma instituição que tem uma missão clara e  com a qual me identifico profundamente. Agradeço a Deus pela família Dehoniana e aqui falo não só da Faculdade, mas também da comunidade do Conventinho. É com eles que passo a maior parte do meu tempo. Agradeço por poder, de algum modo, fazer parte dessa família, de apreender seus ideais, de beber diariamente da alegria de acreditar que um mundo justo é possível. Chegar lá é como chegar em casa.

Comunidade - Minha família escolhida. Já se vão 21 anos que nos escolhemos para sermos uma família que decidiu pela partilha. Sei que tantas vezes estive ausente do convívio, mas também sei que ali é meu porto seguro. Voltar pra casa é um realimentar de forças para enfrentar os desafios do dia a dia. Nossas conversas, nossas discussões me fazem acreditar que a melhor vida é a vida comunitária. Que o próximo ano eu possa ser mais presença. Que o “Dia Feliz” das crianças possa ser uma constante para todos nós.

Família - Às vezes sinto certa frustração por achar que tantas coisas que acredito não foram bem assimiladas ou compreendidas, porém o tempo sempre mostra (nunca quando queremos) que sou muito apressada e que o resultado vem. Vejo em vocês, Gu e Clau, a construção diária de vidas que são meu prolongamento. È difícil ver que cresceram e que tem vida própria, é o point of no return.perdão pelos momentos de intolerância.  Aonde estivermos somos essa pequeninha família que sabe ser gigante quando precisa.

Aos meus amigos que tornaram possível um 2010 feliz. Obrigada pela companhia, presença, carinho, testemunho. Não consigo imaginar minha vida sem cada um de vocês. O valor da amizade é sagrado e por isso vejo em voces esse Deus, companheiro de caminhada. Sei que sou exigente em relação a amizade, provavelmente porque para mim,  sem amigos não existe vida. Obrigada aos amigos de sempre, obrigada aos amigos que chegaram esse ano. Voces vale a vida!!!

Foi um ano bom, não cumpri tudo o que me predispus, mas cumpri algumas coisas. È hora de renovar algumas e colocar novas propostas. Em tudo percebi  a presença desse Deus que me acompanhou em cada passo. Em 2011 muito tem que ser feito, tenho muitos planos. Quero viver a gratuidade do amor incondicional. Quero viver a expectativa do Reino, ajudar A construí-lo onde eu estiver. Será muito difícil eu sei, mas a vida é isso, um grande desafio de vivê-la bem.

Vamos rumo a 2011, rumo aos 52 anos! Como Deus é bom!!!

FELIZ


UM NATAL COM GRITO PROFÉTICO!!!

23 de Dezembro de 2010 às 15:53 por Rosana Manzini | Postado em: ROSANA
| Comentários (4)

É NATAL !!!

O nascimento do Salvador e Redentor me remete à opção fundamental feita há muitos natais atrás. Ainda que tudo empurre para um consumo sem sentido, desenfreado, onde a insatisfação permanece após a abertura dos presentes, viver o Natal significa para mim, reconfirmar a adesão ao projeto do Reino. Creio na Civilização do Amor, creio na Igreja comprometida com a vida de cada um e de todos. Creio na grande experiência do amor incondicional e sei sobretudo que está vida de amor é exigente e tantas vezes sofrida. Viver o Natal é acolher a mensagem que transforma vidas e o mundo.

Pensei em várias mensagens para transmitir os meus votos de um Feliz Natal mas nenhuma delas era tão verdadeira e tão profética quanto o discurso do bispo emérito de Limoeiro do Norte (CE), Dom Manuel Edmilson Cruz, que recusou a Comenda de Direitos Humanos oferecida pelo Senado Brasileiro. Se fez Natal, e com o olhar fixo na manjedoura este pastor do século XXI renovou a esperança dos que crêem que a vida e a dignidade ainda se fazem valer contra toda ostentação, contra todo privilégio. O seguimento deste Deus que se faz Menino está presente em cada palavra proferida:

A surpresa chegou aos meus ouvidos à noitinha, quinta-feira 16 de dezembro. Como o alvorecer da aurora e a vibração cantante de um bom-dia. Mais que surpresa: era como se alguém de extraordinária generosidade tivesse enfocado uma libélula projetando a sua leveza e levando-a a atingir as proporções de um águia ou de um condor.
Passa por esse crivo o meu cordial agradecimento ao senhor Senador Inácio Arruda, aos seus ilustres Pares que o apoiaram e a todo Congresso Nacional.

Pensei, em vista dos meus oitenta e seis anos, em receber essa honraria por meio de um representante. Mas Congresso Nacional merece respeito. Verdadeiro Congresso Nacional é sinal de verdadeira democracia.

A honrosa condecoração, porém, dos Pais da “Pátria”, (como diriam os Romanos “Patres Conscripti”), me faz refletir. Precatórios que se arrastam por décadas; aposentados, idosos com suas aposentadorias reduzidas; salários mínimos que crescem em ritmo de lesmas… depois de três meses de reivindicações e de greves, os condutores de ônibus do transporte coletivo urbano de Fortaleza, dos cerca de 26% de aumento pretendido, mal conseguiram e a duras penas, pouco mais de 6%, quer para a categoria, quer para o povo, principalmente os pobres da quinta maior cidade do nosso Brasil
.
Pois é exatamente neste momento que o Congresso Nacional aprova o aumento de 61% dos honorários de seus Parlamentares que em poucos minutos chegam a essa decisão e ao efeito cascata resultante e o impõe ao povo brasileiro, o seu, o nosso povo. O povo brasileiro, hoje de concidadãos e concidadãs, ainda os considera Parlamentares? Graças ao bom Deus há exceções decerto em tudo isso. Mas excetuadas estas, a justiça, a verdade, o pundonor, a dignidade e a altivez do povo brasileiro já tem formado o seu conceito. Quem assim procedeu não é Parlamentar. É para lamentar. Prova disto? Colha na Internet.

Bem verdade é que a realidade não é assim tão simples e a desproporção numérica, um dado inarredável. Já existe – e é de uma grandeza bem aventurada! – o SUS; o bolsa família. Aí estão trinta milhões de brasileiros, que da linha de pobreza, às vezes até da indigência, alcançaram a classe média. É verdade a atuação do Ministério da Saúde. Existe o Ministério da Integração Nacional. É verdade! Mas não são raros os casos de pacientes que morreram de tanto esperar o tratamento de doença grave, por exemplo, de câncer, marcado para um e até para dois anos após a consulta. Maldita realidade desumana, desalmada! Ela já é em si uma maldição. E me faz proclamar em pleno Congresso Nacional, como já o fiz em Assembléia Estadual e em Câmara Municipal: Quem vota em político corrupto está votando na morte! Mesmo que ele paradoxalmente seja também uma pessoa muito boa, um grande homem. Ainda não do porte de um Nelson Mandela que, ao ser empossado Presidente da República do seu país, reduziu em 50% o valor dos seus honorários.

Considerações finais

Senhores e Senhoras,
Sinto-me primeiro, perplexo; depois, decidido. A condecoração hoje outorgada não representa a pessoa do cearense maior que foi Dom Helder Camara. Desfigura-a, porém. Sem ressentimentos e agindo por amor e por respeito a todos os Senhores a Senhoras, pelos quais oro todos os dias, só me resta uma atitude: recusá-la! Ela é um atentado, uma afronta ao povo brasileiro, ao cidadão, a cidadã contribuintes para o bem de todos com o suor de seu rosto e a dignidade do seu trabalho. É seu direito exigir justiça e eqüidade em se tratando de honorários e de salários. Se é seu direito e eu aceitar, estou procedendo contra os Direitos Humanos. Perderia todo o sentido este momento histórico. O aumento a ser ajustado deveria guardar sempre a mesma proporção que o aumento do salário mínimo e da aposentadoria. Isto não acontece. O que acontece, repito, é um atentado contra os Direitos Humanos do nosso povo.

A atitude que acabo de assumir, assumo-a com humildade. A todos suplico compreensão e a todos desejo a paz com os meus sinceros votos e uma oração por um abençoado e Feliz Natal e um próspero e Feliz Ano Novo!

DEUS SEJA BENDITO PARA SEMPRE!

PARA SEMPRE SEJA BENDITO !

FELIZ NATAL !!