SER PROFESSORA DE TEOLOGIA. GRAÇA E DESAFIO!

15 de Outubro de 2010 às 21:12 por Rosana Manzini | Postado em: fé x vida
| Comentários (2)

Hoje celebra-se o dia do Professor. eu nunca pensei em ser professora. quando criança queria ser médica, depois advogada. Por ai iniciei meus caminhos no mundo universitário, entrei na Faculdade de Direito do largo são Francisco – USP e estudei para advogar. A causa da justiça sempre gritou dentro de mim. Mas enquanto estudava e cantava as famosas trovas acadêmicas minha vida cristã crescia, se responsabilizava, tomava consciência. A cada passo sentia sede de saber mais sobre o Deus que eu professava mas que ainda conhecia pouco. O tempo foi passando, os estudos de direito civil, Penal, Tributário seguiam, mas cada vez menos eu me via como advogada. Mas também, enquanto o tempo passava de um lado a sede aumentava de outro. Quando estava para iniciar o 4º ano, percebi que era hora de tomar uma decisão. Deixei os estudos de Direito e mergulhei no mundo fantástico da Teologia, tinha 26 anos.

Descobri a minha estrada. Mas ainda não sabia que iria me tornar professora de teologia, só queria aprender, entender, viver a descoberta do mundo teológico. Mas os caminhos de Deus são misteriosos. Depois de um período de doença que me forçou parar os estudos por um ano conclui o curso de Bacharelado pela Pontifícia Faculdade de Teologia Nossa Senhora da Assunção. Ainda não pensava em ser professora, mas provavelmente o Senhor já pensava rsrs.  Em 1990, o então bispo de Mogi das Cruzes, Dom Paulo Mascarenhas Roxo,  me convidava para continuar meus estudos na Pontificia Università Gregoriana em roma, onde deveria estudar Moral Social e Doutrina Social da Igreja e voltar para ensinar no Instituto de Filosofia e Teologia de Mogi. Obedeci!! Fui e voltei como professora de Teologia. Já se passaram 16 anos da primeira vez que entrei em uma sala de aula e não me sentei nas carteiras estudantis mas na mesa do professor. Nesses 16 anos, minha vida acadêmica foi se intensificando, passei a lecionar em diversos lugares, inclusive me tornei professora na mesma faculdade onde fui aluna. Mas o que queria refletir aqui é o ser professora, que já é algo de profunda importancia, mas queria refletir o ser professora de teologia.

Ser professora de teologia não basta conhecer todos os tratados teológicos. Não basta ter conhecimento, não! Ser professora de teologia seignifica que vc tem que ter uma vida de fé profunda, que faça do teu magistério uma vocação de entrega. Ser professora de teologia significa estabelecer vínculos de amor com teus alunos, pois diante de voce não está um receptáculo vazio para ser preenchido por teorias, mas sim uma pessoa criada a imagem e Semelhança do Deus que voce professa. Ser professora de teologia significa acreditar que o Reino de Deus é uma realidade a ser construída e que todos naquela sala de aula tem a responsabilidade para com esta construção. Ser professora de teologia é ter o brilho dos olhos de quem descobriu um tesouro e quer entregar o mapa para seus alunos. Ser professora de teologia significa saber pedir perdão quando erra, corrigir quando eles erram e realirmar sempre que a Misericórdia ampara a todos. Ser professora de teologia é ter a consciência de que os títulos pouco significam se não souber amar aqueles que te foram confiados. Ser professora de teologia é saber que sabe tão pouco diante do Mistério de Deus e mesmo assim esse pouco voce transmite como se fosse tudo.

Sou feliz com meus alunos, sou feliz com meus amigos professores, sou feliz nos lugares onde trabalho. Hoje sou uma professora de teologia que ama o que faz, mas que sobretudo entendeu que a vocação do ser professora se explicita no amor que voce é capaz de oferecer dentro e fora da sala de aula.  Padre León Dehon, fundador da Congregação dos Padres do Sagrado Coração em um de seus textos sobre educação diz assim;

“Educar um cristão é formar um homem com coração, um homem capaz de sacrifício e dedicação, um homem livre do jugo do egoísmo”.

Hoje rezo por todos meus professores, por todos meus amigos professores e peço para que o Senhor não permita que percamos o brilho de nossos olhos, que não percamos a beleza de nos reencantarmos sempre com a vocação de ensinar !.

CARTA PARA ALGUÉM QUE FOI CEDO DEMAIS!

9 de Outubro de 2010 às 23:09 por Rosana Manzini | Postado em: ROSANA
| Comentários (4)

Olá Albano,

Não tivemos a oportunidade de nos conhecermos pessoalmente, mas ouvi muitas vezes falar de você. Sou amiga da tua irmã, trabalhamos juntas na mesma instituição. Conheci seus pais, jantei com eles algumas vezes com eles na casa dela. Ontem fui surpreendida com a notícia que tinham tirado a sua vida. Alguém, por motivo nenhum, te acertou pelas costas transpassando teu coração. O teu último respiro foi nos braços de teus pais.

Hoje estive com tua família, conheci teus três filhos que já carregavam no coração a saudade da mãe que partiu a tão pouco tempo vítima de câncer.  O garoto é muito parecido contigo. Eu também tenho dois filhos, maiores que os teus, mas a preocupação é a mesma, né? Mas escrevo porque preciso te dizer algumas coisas. A primeira é que não foi Deus que quis que você fosse embora agora, dessa forma tão dram. Sem dúvida, e tenho certeza, você sabe disso agora muito mais do que nós. O que interrompeu teu “vôo” foi o resultado de uma omissão generalizada pela vida integral das pessoas. Perdemos-nos nas buscas de prazeres, de poderes, de “auto-realizações”.  O outro deixou de ser importante para nós. Fomos ficando tão egoístas, tão centrados em nós mesmos, que a vida e dores de tantas pessoas passaram e passam desapercebidas. Na verdade Albano corre-se tanto sem saber para que e nem para onde. Eu também, tantas vezes me pego nesse mesmo ritmo. O problema é que, nós que professamos a fé cristã, temos o dever ético-moral de construirmos uma sociedade que seja de estatura humana.

Eu sempre sonhei em viver a experiência de ser Igreja buscando um mundo que revelasse, nas suas organizações, o Amor de Deus. Procurar a justiça, procurar a paz, procurar a dignidade humana de cada pessoa e de todas as pessoas se tornaram um imperativo ético que moldaram minha vida desde a adolescência. Viver esse sonho no dia a dia nem sempre foi fácil e nunca o será. Mas não temos opção. O seguimento de Jesus nos obriga a uma tomada de posição radical, ou estamos com Ele ou não estamos. Temos que ser uma Igreja-samaritana que tem a coragem de sair de sua estrada cotidiana e ir ao encontro das chagas do mundo. Eu creio nisso, sabe?!! É uma luta amorosa sem fim. Aonde a vida for negada é lá que deveremos estar.Precisamos não ter medo da cruz! E não é fácil.

Não foi teu corpo inerte que me colocou em profundo questionamento. Não! Eu creio na Vida Eterna! Eu tenho certeza de que o Pai te acolheu! O que me inquietou profundamente foi o sofrimento dos que ficaram. As lágrimas dos órfãos, que Deus sempre mandou que nós cuidássemos, que nos responsabilizássemos. São essas mesmas lágrimas que me questionam no mais profundo de minha consciência. Lágrimas dos olhos de tantos brasileiros e brasileiras que sonharam, como eu, com um sociedade humana e fraterna. É necessário mais de mim, é necessário coerência maior, é necessário assumir a profecia, é necessário de verdade lutar pela vida, sim. Era preciso um pouco mais de todos nós. Talvez se tivéssemos nos comprometido um pouco mais, se tivéssemos acreditado um pouco mais……. Eu sei, esse “se” não resolve, não volta o tempo….. então fica mesmo o meu pedido de perdão.