É NECESSÁRIA MUITA CORAGEM PARA QUE NO MUNDO REINE A JUSTIÇA QUE ALMEJAMOS.

12 de Maio de 2010 às 14:32 por Rosana Manzini | Postado em: POLITICA
| Comentários (5)

Um aluno me enviou esse vídeo. Ainda existem pessoas e políticos que tem a coragem de denunciar. São pedras no sapato de alguns, mas alavancas para muitos que ainda acreditam na justiça deste país. Assistam e depois comentem aqui no blog o que acharam. Independentemente de partido, creio que devemos nos deter nos valores. Boa reflexão !!!

http://www.youtube.com/watch?v=q21rM03_R18&feature=related

Ser mãe também é saber esperar!

10 de Maio de 2010 às 1:27 por Rosana Manzini | Postado em: ROSANA
| Comentários (0)

Recebi essa mensagem do meu filho Gustavo. Meu filho nasceu na madrugada de um Dia das Mães, foi o maior presente. Primeira maternidade, viria outra depois, a Claudia outro grande presente de Deus.  Em nossa maternidade quantas vezes nos indagamos se estamos “acertando” ou não, queremos respostas imediatas mas elas só vem quando damos tempo para aparecerem nas pegadas deixadas. A minha resposta, olhando para trás, é que devemos confiar naquilo que passamos. Os frutos? bem, os frutos pertencem ao Senhor da Vida que fará florir na hora certa. Ser mãe também é saber esperar!

“ Mãe: Amor que gera Vida que gera Amor

“O coração das mães é um abismo no fundo do qual se encontra sempre um perdão”

Minha mãe fez muitas coisas que eu não gostei, mas fez tudo aquilo que eu precisava pra ser quem sou. E se apenas pelo dom da vida eu já seria eternamente grato, pela vida que me destes, meu amor terás para sempre, nesse plano e nos outros.

Felizes somos nós por termos feiras de ciências pra perder, presentes pra não comprar, palavras para não dizer, gestos para conter, e todos os desvios de um amor perfeito na sua imperfeição.

Não troco essa vida, esse amor, essa família por nenhuma outra, e se sabendo de tudo, pudesse voltar atrás, faria tudo da mesma forma.

Por que o amor não é um destino, é uma jornada…

E te ter ao meu lado é saber que, certo ou errado, indo ao norte ou ao sul, haverá uma mão pra segurar, um colo pra deitar, uma palavra para ouvir.

Te amo!

Gu

———————

Para todas as mães (incluindo a minha), escolhi um poema para homenageá-las:

Ser Mãe

Deixei a natureza transformar-me
Com todas suas leis
Tive o prazer de sentir um bebê no meu ventre
Chorei na maternidade,
Troquei fralda,
Passei noites acordada,
Desfrutei a sensação de amamentar,
Ensinei a comer,
Ensinei a andar,
Chorei no primeiro dia de escolinha
Talvez tenha deixado algumas pessoas de lado,
Talvez não tivesse tempo para dar atenção para as amigas
Pode ser que me relaxei um pouco com minha aparência
Ou quem sabe não tive nem tempo para pensar nisso
Pode ser que deixei alguns projetos pela metade
Ou talvez porque não conciliava com meu horário familiar
Momento algum joguei nada para o alto
Na verdade segurei com as duas mãos
Tudo o que vi cair do céu
Porém permiti
A mão de Deus me tocar
Para ser uma verdadeira mãe

Mara Chan”

http://www.gustavomanzini.com/home/?p=383?utm_source=twitter&utm_medium=twitter-publisher-main&utm_campaign=twitter


Para compreender o pontificado de Bento XVI

8 de Maio de 2010 às 0:22 por Rosana Manzini | Postado em: IGREJA
| Comentários (0)
Recebi este texto por email do meu amigo Fernando Altemeyer. Vale a pena ler!
Por Fernando Altemeyer Junior
O Estado de São Paulo – página A16 – Vida – primeiro caderno*
Para entender os cinco anos do pontificado atual é preciso rever a vida de quem foi escolhido para ser o 265º sucessor de Pedro como bispo de Roma. Tornou-se um intelectual que deixou a Baviera, mas que jamais permitirá que a Baviera saia de dentro de si. Guarda como tesouro inabalável o amor à Virgem de Mariazell. Na escola da Mãe de Deus, aprendeu que todo poder é serviço aos pequeninos que não se pode escandalizar. A infância vivida aos pés dos Alpes foi guiada pela educação clássica que talhou sua personalidade intelectual. A Baviera é a terra do barroco, arte que vive do contágio emotivo e dos santos. Este papa é um homem das emoções que desejam a Deus revelado na verdade, na beleza e no amor. Viveu entre Munique e Salzburgo, tornando-se um aficionado da música clássica, um mozartiano.
Seus mestres são Santo Agostinho e São Boaventura. Como estes teólogos, o papa proclama que somos capazes de manter livre a inteligência na docilidade à graça de Deus. Crê que somos capazes de alçar voo nas asas articuladas da fé e da razão. Seu lema episcopal é Cooperatores Veritatis, pois se afirma um cooperador da verdade que enfrenta o relativismo, um problema nevrálgico. Tem alertando europeus para que não se tornem vítimas de um laicismo estéril e obtuso. Preocupa-se com aqueles que negam as raízes cristãs e professam um niilismo corrosivo. Afirma que é urgente o cultivo da arte nutrida no Uno, no Bom, no Verdadeiro e no Belo.
A Igreja Católica compreende melhor sua voz suave ao celebrar hoje os cinco anos de sua eleição. Descobre que está diante de um teólogo eminente que anuncia o Evangelho como homem discreto e excelente pedagogo. Ele questiona os fundamentos da modernidade líquida e pede aos cristãos que busquem bases mais sólidas no Evangelho. Teme a apostasia do Ocidente com o crescimento do ateísmo e do agnosticismo, antes restritos aos totalitarismos stalinista e nazista. Seu antídoto para o vazio existencial é maior fidelidade, lucidez e santidade dos seguidores de Jesus. Insiste em proclamar novos santos como paradigmas de um cristianismo do futuro, marcado mais pela qualidade espiritual do que pela quantidade. Há cerca de 400 processos de canonização em curso, sendo 50 de brasileiros natos.
Enfrentou temas polêmicos: o diálogo com as comunidades judaica e islâmica, o uso de preservativos na África, a reinserção de quatro bispos do cisma lefebvriano, o retorno da missa tridentina e o escândalo de pedofilia nos EUA, México, Irlanda, Brasil e Alemanha. Manteve-se ao lado daquelas que sofreram esta clamorosa injustiça e exigirá publicamente que os bispos envolvidos – incluídas as conferências episcopais, dioceses e congregações religiosas – tenham ação firme para punir este crime. Na carta aos irlandeses, Bento XVI disse que esta traição a Cristo exige reparação da Igreja pois é um “grave pecado que ofende Deus e fere a dignidade da pessoa humana criada à Sua imagem”.
Viveu momentos iluminados em seu pastoreio quando clamou por uma ação efetiva da comunidade internacional durante os terremotos que afligiram haitianos, chilenos e tibetanos. Quando abraçou jovens dependentes químicos no Brasil, em 2007. E sobretudo ao tocar, suave e comovido, o rosto de sobreviventes de Auschwitz, na visita à Polônia, em 2006. São gestos paternais que falaram ao coração da humanidade tantas vezes órfã e vilipendiada por mecanismos sutis de segregação social.
Seus desafios para o próximo quinquênio podem ser resumidos a três grandes gestos simbólicos: a visita a Moscou para fixar laços ecumênicos plenos com o patriarcado ortodoxo russo, a realização no próximo ano em Roma de um Sínodo para o Oriente Médio – como contribuição concreta dos católicos ao processo de paz na Terra Santa – e a preparação diligente da presença permanente da Igreja na China, talvez com a reinstalação de um mosteiro beneditino na China Continental.
Manteve contato com os católicos sem tantas viagens como João Paulo II, mas tornou-se presente através da TV, da internet, de blogs e sites. É o primeiro Papa a possuir um iPod.
Dedicou o coração de seu ministério petrino à defesa da verdade desde sua eleição como “um simples e humilde trabalhador na vinha do Senhor”, confiante nas orações do povo cristão e na ajuda de Cristo e de sua Mãe. Sempre afirma que quer construir pontes firmes no diálogo em favor da paz sem transigir nos valores da fé em Deus como pedra angular de uma humanidade emancipada.
Em meio aos ventos contrários destas últimas semanas, o papa Bento XVI emerge no século 21 como um papa das correntes subterrâneas mais do que alguém que surfa nas espumas do mar. Compreendê-lo exige – como dizia Blaise Pascal – espírito de fineza: capacidade de levar em conta todas as dimensões.
*PROFESSOR ASSISTENTE DOUTOR DO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS DA RELIGIÃO DA PUC-SP
http://www.cella.com.br/blog/?p=19157

“A aprovação do Ficha Limpa é questão de dignidade para o Legislativo”, afirma dom Angélico Sândalo

7 de Maio de 2010 às 3:17 por Rosana Manzini | Postado em: IGREJA, POLITICA
| Comentários (2)

A frase foi dita pelo bispo emérito de Blumenau (SC), dom Angélico Sândalo Bernardino, a respeito do Projeto Ficha Limpa e sua aprovação na madrugada de hoje pela Comissão de Constituição e Justiça e Cidadania (CCJ) da Câmara dos Deputados.

“Tenho certeza que todos estão de pleno acordo com a preocupação da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e de milhares de pessoas para apresentar ao Parlamento o Projeto Ficha Limpa. Esperamos que este Projeto seja aprovado no Senado sem muitas modificações. A aprovação é questão de dignidade para o Legislativo e de restabelecimento da credibilidade junto ao povo brasileiro”, afirmou dom Angêlico em coletiva com a imprensa na tarde de hoje, 5, em Brasília (DF).

Dom Angélico se diz cansado da corrupção e  espera que o Ficha Limpa possa mesmo ser aprovado em definitivo pelo Congresso Nacional. “Estamos cansados de ver dinheiro nas meias e nas cuecas dos corruptos,;é hora de dar um basta nesta situação, por isso a urgência da aprovação do Projeto, e esperamos que ele entre em vigor ainda nestas eleições”.

http://www.cnbb.org.br/site/eventos/assembleia-geral/3238-a-aprovacao-do-ficha-limpa-e-questao-de-dignidade-para-o-legislativo-afirmou-dom-angelico-sandalo

Para: Povo de Deus do Regional Sul I De: Conselho Nacional do Laicato do Brasil Regional Sul I

2 de Maio de 2010 às 18:25 por Rosana Manzini | Postado em: POLITICA
| Comentários (2)

Prezados senhores e senhoras,

enviamos anexo carta do Conselho Nacional do Laicato do Brasil – Regional Sul I, organismo que representa e articula os cristãos leigos e leigas do Estado de São Paulo, que somam em torno de 98% da população católica de nosso estado, a respeito do projeto de lei de iniciativa popular Ficha Limpa.

Pedimos que utilizem seus meios de comunicação para divulgar a carta. Entretanto, o nosso pedido maior é que manifestem seus organismos, associações, movimentos, dioceses, paróquias, comunidades e pastorais, a fim de que enviem cartas ao Congresso Nacional, para a aprovação deste projeto.

Comunicamos que esta carta foi enviada aos Srs. Senadores, Deputados Federais e Presidência da República.

Atenciosamente,
Alex de Souza Rossi.
Secretário Geral do CNLB Regional Sul I

Carta_Ficha Limpa_Deputados_Senadores (2)


“Papa estimula políticos a lutarem pelo ‘bem comum’”

às 15:40 por Rosana Manzini | Postado em: DSI
| Comentários (0)

TURIM, 2 MAI (ANSA) – O papa Bento XVI, que realiza uma visita pastoral a Turim (norte da Itália), onde irá ainda hoje à exposição do Santo Sudário, pediu aos políticos que persigam “o bem comum”, mesmo “nos momentos difíceis”.  ”Desejo encorajar o esforço dos que foram chamados a administrarem as coisas públicas”, afirmou o Papa durante a homilia da celebração eucarística deste domingo, realizada na Praça de São Carlos.

“A colaboração para fazer da cidade mais humana e habitável é um sinal de que o pensamento cristão sobre o homem nunca é contra a liberdade, mas em favor a uma plenitude maior, de que apenas na civilidade do amor encontra a sua realização”, continuou.

Bento XVI também expressou sua proximidade aos desempregados, às famílias em dificuldade, aos marginalizados e aos imigrantes. “Sei que também em Turim há dificuldades, problemas, preocupações. Penso, particularmente, nos que vivem concretamente as suas existências em condições de precariedade”, apontou.

“Por causa da falta de trabalho, da incerteza sobre o futuro, do sofrimento físico e moral, penso nas famílias, nos jovens, nas pessoas idosas, nos que foram marginalizados, nos imigrantes”, disse o Papa, que recordou aos cristãos “que não estamos sós, Deus ama todos, sem distinção, e está próximo a todos, com o seu amor, que torna possível enfrentar, viver e superar a fadiga dos problemas cotidianos”

http://uol.com/bmdGB

CONCLUÍDO CURSO DE TEOLOGIA – REGIÃO BRASILÂNDIA – SP

às 15:27 por Rosana Manzini | Postado em: fé x vida
| Comentários (8)

Sexta-feira passada, dia 30, encerramos o 1º Curso de Teologia do ETEP – Escola de Teologia e Pastoral da Região Brasilândia – SP. Durante 2 anos 150 leigos e leigas frequentaram, todas as sextas-feiras a noite, aulas de teologia dividas em módulos que perpassaram todos os tratados teológicos. Eu participei dessa formação com os módulos de Doutrina Social da Igreja e Pastoral.

Quero partilhar com voces a alegria de ter visto com qual entusiasmo essa gente boa da Brasilândia participou durante todo esse tempo. Muitos vindo diretamente do trabalho, cansados e sem jantar, não deixavam de participar  prestando muita atenção no que estava sendo passado para eles. Bebiam o conhecimento com a consciência plena de se sentirem responsáveis na transmissão e aplicação em suas comunidades, paróquias e pastorais. Pessoalmente ganhei muito mais do que transmiti. Toda vez que pude estar com eles sai enriquecida pela partilha de vida que tivemos. Aprendi muito! Doce ilusão de quem pensa que pode fazer teologia sem o  contato direto com o povo. O teólogo ou teóloga que pensa que pode fazer teologia somente a partir do conhecimento adquirido nos livros corre seriamente o risco de fazer uma teologia desencarnada da realidade.

Quero hoje, agradecer a todos meus alunos e alunas por terem me acolhido com tanto amor que fizeram das minhas noites de sextas-feira uma alavanca de ânimo na minha missão. Quero agradecer ao Pe. Manzatto, amigo e companheiro de caminhada, o convite gentil à eterna conversão aos pequenos do Senhor.

Aos meus alunos e alunas, agora amigos, deixo a certeza da minha oração para que perseverem sempre, apesar de todos os obstáculos. VALEU A PENA!

No dia da formatura, 15 de maio, estarei lá para vê-los receber o certificado, feliz … muito feliz por ter tido a graça de participar dessa conquista. PARABÉNS!!!