Acreditamos no “NÓS”?

31 de Março de 2010 às 22:10 por Rosana Manzini | Postado em: fé x vida
| Comentários (0)

Estamos entrando na dinâmica profunda das celebrações que rememoram a Paixão e a Ressurreição de Jesus.  Entendemos que a morte de cruz não pode ser entendida como poética, mas sim como o resultado de um modo de vida. Jesus assume o Projeto do Reino em todas as suas dimensões e com toda a sua vida. O imperativo categórico  SEGUE-ME determina que a Vida Nova que brota da cruz, a Vida que vence a Morte deve ser a nossa opção de vida, modelo a ser vivido. Viver pela Vida. Viver para defender a vida em todas as suas formas tem que ser nossa escolha cotidiana. Em cada opção que fazemos ao longo do nosso dia devemos fazer refletir em quem realmente cremos. As vezes me pego pensando nessa radicalidade da exigência do seguimento. Neutralizamos a radicalidade  com nossas fragilidades e mazelas.  Observo cada vez mais um mundo de tantos “EUS”  e tão poucos “NÓS”.  Centraliza-se a vida em torno dos próprios desejos e paixões. Ficamos cada vez mais pequenos, perdendo a estatura do humano. Faz muito tempo que, entre os jovens de uma paróquia, aprendi a ser “nós” e tenho tentado viver isso até hoje. Nessa Páscoa renovo minha fé na comunidade, na solução comunitária para tantos problemas. Renovo minha crença de que juntos damos um outro sentido à vida.

vejam o folder do curso “Assim na terra como no céu…”

26 de Março de 2010 às 1:24 por Rosana Manzini | Postado em: ROSANA
| Comentários (1)

Curso: “Assim na Terra como no Céu…”

25 de Março de 2010 às 14:30 por Rosana Manzini | Postado em: ROSANA
| Comentários (1)

“Assim na terra como no céu…” é o título do novo curso que a Faculdade Dehoniana estará oferecendo a partir de abril. A 1ª parte do curso terá como objetivo meditar com profundidade sobre as diversas palavras contidas na oração do Pai-nosso, preparando para uma reflexão sobre a Doutrina Social da Igreja. Este primeiro momento será ministrado pelo Pe. Dr. João Carlos Almeida, Diretor Geral da Faculdade Dehoniana. A 2ª parte estará sob minha responsabilidade e será uma apresentação da Doutrina social da Igreja e suas implicações  ética-moral na vida dos cristãos.

Inscreva-se logo acessando www.dehonianaonline.org.br

30 anos de martírio de Dom Oscar Romero

24 de Março de 2010 às 17:59 por Rosana Manzini | Postado em: fé x vida
| Comentários (3)

Recebi este email do meu amigo Prof. Dr. Fernando Altemeyer Junior e transcrevo para compartilhar com todos voces:

“É preciso reavaliar a pessoa de dom Romero, a trajetória de sua vida, sua coerência pessoal e evangélica e o sentido da morte deste mestre da fé, da verdade e da caridade.”

Em 24 de março de 1980 um bispo é assassinado durante o ofertório da missa enquanto celebrava a Eucaristia em memória de dona Sarita Jorge Pinto, com sua família e os doentes de câncer do Hospital da Divina Providência, na capital de El Salvador, na América Central. Seu nome é Oscar Arnulfo Romero y Galdamez.

Com a alteração profunda da conjuntura eclesial, a Igreja Católica não pode esquecer aquele que foi um filho legítimo do Vaticano II, de Medellín e sobretudo das decisões de Puebla. Este grande bispo mártir viu a realidade dura de um povo mergulhado em uma guerra, reconheceu e assumiu seu papel estratégico como pastor de uma Igreja perseguida, e em plena sintonia com a mensagem de Cristo, constituiu-se em paradigma fiel do agir da Igreja feita opção pelos pobres e servidora do Reino de Deus. Suas últimas palavras foram premonitórias: “unamo-nos, pois, intimamente na fé e na esperança a este momento de oração por dona Sarita e por nós”.

Beatificação

Segundo a Agência de Notícias Zenit, a Conferência Episcopal de El Salvador (CEDES) no dia 28 de janeiro de 2010, pediu em carta ao papa Bento XVI a “rápida conclusão” do processo de beatificação do arcebispo Oscar Arnulfo Romero. Em sua primeira reunião anual de 2010, os bispos salvadorenhos decidiram encaminhar o pedido em uma carta endereçada a Bento XVI. “Uma decisão importante” tomada durante a reunião “foi a de encaminhar uma carta ao Santo Padre expressando o interesse de nossos pastores em uma rápida conclusão do processo de beatificação de Dom Romero”, disse dom Gregorio Rosa Chávez, bispo auxiliar de San Salvador. O arcebispo de San Salvador, dom José Luis Escobar anunciou que a Igreja iniciará as celebrações em memória de dom Romero com algumas jornadas de reflexões. O atual arcebispo recomendou também aos salvadorenhos que orassem e promovessem o “culto pessoal”, para favorecer a beatificação de dom Rom ero.

“Gostaria de fazer um apelo à oração”, disse ele. “Quando alguém é beatificado, é porque esta é a vontade de Deus”. Em coletiva à imprensa, o prelado disse que o processo estaria “em fase avançada”. Neste contexto, pediu aos fiéis que “roguem a Deus sob a intercessão de dom Romero”, e que deem seu testemunho de graças, favores e milagres recebidos. O prelado disse esperar que o processo se desenvolva em um ambiente “sereno”, livre da influência de questões políticas e sociais. “Pedimos, em diversas ocasiões, por um extremo respeito à causa de dom Romero”, explicou.

A Comissão para a Verdade, instituída para investigar os crimes políticos cometidos durante a guerra civil salvadorenha (1980-1992), declarou, num relatório divulgado em março de 1993, que o provável mandante do assassinato teria sido Roberto D’Aubuisson, fundador do partido conservador de direita Alianza Republicana Nacionalista (ARENA).

Dom Romero denunciava diariamente as injustiças contra a população e os assassinatos políticos perpetrados pelos “esquadrões da morte” pagos pela elite salvadorenha com o apoio do governo dos Estados Unidos, e pedira na semana anterior à sua morte que os soldados não mais obedecessem às ordens de matar seus irmãos. Esta foi sua sentença de morte.

Testemunhos

Na Conferência de Aparecida, a Igreja Católica não traiu a memória de dom Romero em seu serviço aos pobres. O documento final declarava solenemente: “Comprometemo- nos a trabalhar para que a Igreja latino-americana e do Caribe continue sendo, com maior afinco, companheira de caminho de nossos irmãos mais pobres, inclusive até ao martírio”. Ao testemunhar a fé dos mártires, lembra diretamente pessoas como dom Oscar Romero, e a Igreja que confirma com sangue a fé em Cristo. Esta Igreja sela com sangue o que assinara com a tinta. A missão da Igreja não se cristalizou no passado. Transmitiu o legado e o atualizou cri ativamente. Cultiva as sementes atenta aos novos sinais dos tempos, acompanhando a ‘floresta que cresce’ pela graça de Deus no meio das comunidades dos cristãos. Este era o trabalho diário de Romero. Por isso muitas capelas e centros comunitários já levam seu nome, à espera ansiosa de sua beatificação. É preciso reaprender as lições de Romero e buscar proclamar sua profecia. É preciso reatar sempre o casamento entre a Igreja e os pobres.

Se pudéssemos classificar as testemunhas recentes diríamos que temos: os santos que assumiram a boa-notícia em sua vida (gente como dom Hélder Pessoa Câmara, dom Luciano Mendes de Almeida, dom Ivo Lorscheider e nosso querido intelectual Alceu de Amoroso Lima); os leigos mártires (gente como Verino Sossai, de Nova Venécia, Francisco, de Pancas, Purinha, de Linhares, Santo Dias da Silva, de São Paulo, Paulo Vinhas, de Vitória e, centenas de mulheres e homens cristãos, do mundo rural e urbano); os sacerdotes e bispos profetas e mártires (citamos dom Enrique Angel elli e dom Oscar Romero), e enfim, as religiosas que misturaram seu sangue ao da terra que tanto amaram e a Deus que quiseram servir até o fim (lembramos Dorothy Hazel, Ita Ford, Jean Donovan, Maura Clarke, Adelaide Molinari, Cleusa, e recentemente Dorothy Stang, entre dezenas de mulheres consagradas) .

Toda obra espiritual procede da missão e não da função. O lema de dom Romero bem o exemplifica: Sentir com a Igreja. Quanto mais nos aproximarmos dos pobres e de Deus, tanto mais fecundos seremos. Esta foi a lição e a pregação de dom Romero. Quanto mais pobres, mais ricos. Quanto menos, mais. Quanto mais desafios assumirmos na Igreja dos pobres, mais esperança teremos e seremos. Quanto mais esperança, mais desafios devemos assumir. Os pedaços de pão que um homem oferece a outro são sacramentos de comunhão. Como disse Simone Weil em seu livro Attente de Dieu: “No amor verdadeiro, não somos nós que amamos os sofredores em Deus, mas é Deus em nós quem ama os sofredores. Aquele que dá pão a um esfaimado pelo amor de Deus não será agraciado pelo Cristo. Ele já terá recebido seu salário por esse seu pensamento. O Cristo agradece àqueles que não sabem a quem eles dão de comer” (p.111). Servir a Cristo sem saber que estamos diante d’Ele. Sem medalhas, nem comendas. Servir pelo amor gratuito e generoso de Deus ao povo por Ele amado. Assim viveu o arcebispo de San Salvador, como Bom Pastor. Por esta causa fundamental morreu, e por este testemunho fiel será lembrado como fiel servo do Cristo Salvador.


A Igreja Católica em todo o continente da América Latina possui 425.599.389 milhões de fiéis, reunidos em 800 dioceses, 31.530 paróquias, 104.331 centros de evangelização, coordenados por 1.201 bispos, 66.684 sacerdotes, 10.302 diáconos permanentes, 5.484 irmãos, 129.813 irmãs e 1.350.495 catequistas.

A Igreja de El Salvador que sempre foi a razão de ser de toda a vida de dom Romero é bem pequenina, mas, muito vigorosa em sua fé e sua fidelidade a Cristo Salvador. Ela é composta por 5.029.704 de católicos (79,87%), nove circunscrições eclesiásticas, 12 bispos, 765 sacerdotes, dois diáconos permanentes, 70 irmãos, 1.632 irmãs e 7.534 catequistas, que se reúnem em 828 centros de pastoral.


* Fernando Altemeyer Junior é teólogo, doutor em ciências sociais, professor nas Faculdades Claretianas, na UNISAL, na EDT e na PUC-SP.

Este artigo foi publicado na edição Novembro 2009 da revista Missões.

Fonte: Revista Missões”

Justiça: “dare cuique suum” e Justiça Samaritana

22 de Março de 2010 às 18:00 por Rosana Manzini | Postado em: DSI
| Comentários (18)

Em sua mensagem para o período quaresmal Bento XVI trabalha sobre a questão da justiça e afirma que para o cristão o conceito de justiça vai além da tradicional afirmação “dar a cada um o que lhe é devido”. Poderíamos trabalhar esse conceito a partir da Parábola do Bom Samaritano? Qual a sua reflexão?

Coloco o primeiro parágrafo da mensagem de Bento XVI e o link caso voce queira ler toda a mensagem.

Detenho-me em primeiro lugar sobre o significado da palavra “justiça” que na linguagem comum implica “dar a cada um o que é seu – dare cuique suum”, segundo a conhecida expressão de Ulpiano, jurista romana do século III. Porém, na realidade, tal definição clássica não precisa em que é que consiste aquele “suo” que se deve assegurar a cada um. Aquilo de que o homem mais precisa não lhe pode ser garantido por lei. Para gozar de uma existência em plenitude, precisa de algo mais intimo que lhe pode ser concedido somente gratuitamente: poderíamos dizer que o homem vive daquele amor que só Deus lhe pode comunicar, tendo-o criado á sua imagem e semelhança. São certamente úteis e necessários os bens materiais – no fim de contas o próprio Jesus se preocupou com a cura dos doentes, em matar a fome das multidões que o seguiam e certamente condena a indiferença que também hoje condena centenas de milhões de seres humanos á morte por falta de alimentos, de água e de medicamentos – , mas a justiça distributiva não restitui ao ser humano todo o “suo” que lhe é devido. Como e mais do que o pão ele de facto precisa de Deus. Nora Santo Agostinho: se “ a justiça é a virtude que distribui a cada um o que é seu…não é justiça do homem aquela que subtrai o homem ao verdadeiro Deus” (De civitate Dei, XIX, 21)“.

http://www.vatican.va/holy_father/benedict_xvi/messages/lent/documents/hf_ben-xvi_mes_20091030_lent-2010_po.html

Programa Rádio 9 de Julho

às 0:25 por Rosana Manzini | Postado em: fé x vida
| Comentários (0)

Amanhã estarei gravando o segundo programa do  ”Teologia na vida da cidade”. Este programa é preparado pela Faculdade de Teologia da PUC-SP e irá ao ar todos os sábados da 8:30 – 9:00 hs pela Radio 9 de Julho – 1600 AM – . O programa tem por objetivo apresentar o universo teológico de forma dialogada com os ouvintes. Serão entrevistados os professores da faculdade que abordarão os mais diversos temas.  Venham participar, sintonizem!!!

Terra, planeta água

21 de Março de 2010 às 23:47 por Rosana Manzini | Postado em: DSI
| Comentários (2)
A Doutrina Social da Igreja nos interpela sobre a grave crise ecológica que vivemos hoje. Todo o meio ambiente e sua defesa está esta submetido a lógica cruel do sistema atua,l onde visa-se o lucro a custa de tudo o que é essencial para o desenvolvimento e vida plena de toda a humanidade. Como cristãos somos interpelados sobre nossa atuação concreta na defesa da vida em todos os seus aspectos e não podemos nos furtar de dar uma resposta concreta de compromisso com a defesa da casa de todos nós , o Planeta Terra. Nesta segunda-feira celebramos o Dia da Água! Qual é o nosso real compromisso diante de tão grande ameaça?
Recomendo como aprofundamento a leitura do artigo de Sergio Ferrari, no site da Adital:  http://www.adital.com.br/site/noticia.asp?lang=PT&cod=26814

Seja bem-vindo!

6 de Março de 2010 às 22:42 por Rosana Manzini | Postado em: ROSANA
| Comentários (20)

Olá!

Hoje estou iniciando os primeiros passos nesta nova midia social, o Blog. Minha expectativa é que seja um espaço de discussão e partilha. Acredito que a Teologia Moral e a Doutrina Social da Igreja podem nos orientar – e muito – para nossas tomadas de decisões diante das novas e urgentes questões sociais. Este site e Blog são um serviço à Igreja.

Seja bem-vindo!